segunda-feira, 24 de agosto de 2015

VENDA VALOR X FAÇA FORTUNA

Olá, aqui é o Fábio Marques.
Como vai?
O artigo abaixo é ótimo para quem trabalha em Vendas e Marketing de produtos ou serviços, mas também é útil para qualquer pessoa que precise vender ideias, projetos ou conceitos. Dê uma olhada e dê sua opinião, por favor.
Venda Valor & Faça Fortuna!
O que determina o sucesso ou o fracasso de quem precisa vender?
Talvez seja, exatamente, o compromisso com a Excelência (sucesso), ou a falta dele (fracasso).
Quando tudo vai bem e sobra dinheiro na economia, as pessoas que trabalham em vendas “tiram seus pedidos” sem muita dificuldade. Uns vendem mais, outros vendem menos, mas quase todos vendem o suficiente para garantir suas cotas.
Em situações de alta competitividade e, principalmente, em momentos chamados de “crise”, exacerbados de medo e incertezas, clientes tornam-se mais difíceis e resistentes, as decisões são retardadas ou adiadas e então fica mais evidente a diferença entre aqueles comprometidos com a Excelência - que fazem diferença – e os que apenas acontecem de estar “passando tempo” em vendas.
Verdadeiros profissionais já compreenderam que o processo de Vendas é um Serviço: um serviço que deve auxiliar o cliente a tomar uma decisão segura de compra e permanecer confiante de que fez a escolha certa de um produto, de um serviço ou de um fornecedor. E como podemos prestar um excelente serviço nesse sentido? VendendoValor ao Cliente, que vai muito além de ficar repetindo aos clientes as qualidades de nossos produtos e serviços. Vai muito além de pensarmos apenas na satisfação momentânea do cliente com a compra. Precisamos nos concentrar em alcançar oSucesso do Cliente, ou seja, em como nosso produto ou serviço representa VALOR aos negócios ou à vida dele, resolvendo seus problemas ou ajudando-o a alcançar seus objetivos mais importantes.
É preciso ajudar o cliente a dimensionar e obter ganhos reais com a escolha de nosso produto ou serviço. Somente assim poderemos chamar o que vendemos de solução.
Qual é o percentual de ganho de produtividade que nosso cliente pode obter quando utilizar nossa solução? Quanto dinheiro ele poderá economizar ao longo da vida útil do produto ou serviço que está adquirindo de nós? Quanto dinheiro adicional ele poderá ganhar? Que outros ganhos, além do financeiro, ele poderá obter? Maior projeção? Mais controle sobre as operações? Maior tranquilidade? Melhor imagem de mercado? Pode tornar-se um lugar que atrai mais clientes e mais talentos profissionais como consequência da melhoria de sua imagem institucional? Em quanto podemos reduzir o número e o custo das reclamações dos clientes dele? Em quanto podemos reduzir sua rotatividade de pessoal? Em quanto podemos reduzir suas despesas? Em quanto podemos aumentar seus lucros?
Podemos – e devemos – seguir elaborando uma série de questões como estas, que nos direcionem a encontrar real valor agregado às vidas e aos negócios de nossos clientes, como resultado de um bom serviço de venda prestado a eles. Não há a obrigatoriedade de encontrarmos respostas exatas ou número precisos para tais questões, mas o simples fato de focarmos nossos esforços em buscar tais respostas aumentará drasticamente nosso desempenho como profissionais que realmente VENDEM VALOR aos clientes.
Para vender valor ao cliente, o primeiro passo é descobrir o que o cliente mais valoriza. Em seguida, precisamos associar os benefícios específicos que nossos produtos ou serviços podem proporcionar com as coisas que têm mais valor para ele, considerando cada cliente de forma particular.
Quem venderá mais? Quem será o campeão de vendas? Quem será aquele a obter as maiores e mais constantes recompensas por seu trabalho em vendas? Será aquele queagregar mais valor aos clientes, ao longo e após cada serviço de vendas. Faça um favor aos clientes e a si mesmo: VENDA VALOR & FAÇA FORTUNA!

Um abraço, com meus votos de Saúde e Sucesso, Sempre...
Fábio Marques 

domingo, 23 de agosto de 2015

sábado, 15 de agosto de 2015

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

como atingir seus objetivos

como atingir seus objetivos

Homem malhando na academia com amigo
Conseguir uma promoção no trabalho, chegar com barriga tanquinho no verão, conquistar aquela garota especial… Todos nós temos sonhos, desejos, objetivos. Neste artigo veremos algumas atitudes que vão deixá-lo mais perto da realização dos seus sonhos, mesmo aqueles que parecem impossíveis.
Ser capaz de traçar objetivos com clareza e esboçar uma boa estratégia para se alcançar a meta estabelecida é uma habilidade fundamental para qualquer pessoa. Infelizmente muitas pessoas ficam perdidas ao longo do caminho e acabam sem nunca conseguirem atingir suas metas, sejam pessoais ou profissionais.
Como coach, o que faço é ajudar as pessoas a atingirem seus objetivos. Ao longo do caminho, me especializei na área dos relacionamentos e da conquista. De qualquer forma, os princípios para definição dos objetivos e o processo para se alcançar a meta são exatamente os mesmos para qualquer área da sua vida.

Definição do objetivo

Antes de começar a colocar a mão na massa, é importante que você tenha, por escrito, três coisas: qual é seu objetivo, que ele seja mensurável e que tenha um prazo para conclusão.
Por exemplo, vamos falar de perda de peso. Digamos que eu queira ficar com a barriga tanquinho. Note que esta é uma definição muito genérica. O melhor que eu posso fazer é me pesar, calcular meu percentual de gordura e decidir quantos quilos de gordura, exatamente, eu preciso perder para ficar com o corpo que quero. Daí eu chego na seguinte meta:
  • Perder 6kg de gordura em 12 semanas.
Essa é uma meta clara, mensurável e com um prazo realista. Conversando com alguns profissionais de nutrição e educação física, parece bem razoável perder 0,5kg de gordura por semana. Agora vamos falar da estratégia para se chegar a esse objetivo.

Definição da estratégia

Precisamos traçar quais são os pequenos passos que preciso tomar para que eu atinja esse objetivo. Por exemplo:
  1. Estudar como funciona uma dieta
  2. Começar a correr 4 vezes por semana
  3. Iniciar novo plano alimentar
  4. Fazer pesagem semanal
Note que fazer a pesagem semanal é a verificação ao longo do processo. Isso é essencial para o sucesso. Digamos que, ao final da primeira semana de atividade física e novo plano alimentar, você não tenha batido sua meta intermediária de perder 0,5kg.
“Sei que é chato ouvir isso, mas qualquer objetivo que realmente valha a pena sempre virá acompanhado de esforço, trabalho, superação…”
Neste caso, sua estratégia precisará ser alterada. Pode ser que você tenha que cortar um pouco mais de calorias da dieta, talvez precise aumentar a intensidade dos treinos ou não esteja seguindo corretamente o planejamento. Essas verificações periódicas, ao longo do processo, são essenciais para que você tenha certeza de que está no caminho certo. Você não precisa esperar o final dos 3 meses para saber que seu plano não funcionou.
Neste artigo, falarei sobre 12 atitudes que vão ajudá-lo a alcançar seus objetivos, seja na vida pessoal ou profissional. Espero que, ao final, você tenha todas as ferramentas para atingir seu objetivo.

1. Quebre o projeto em pequenas partes

Homem subindo pilha de livros
Não importa o quão grande ou complexo seja o objetivo que você deseja alcançar, é fundamental que você quebre esse projeto em pequenas partes. Quando olhamos para o projeto todo podemos ficar assustados com sua complexidade e acabar sem fazer nada. Quando olhamos para uma tarefa simples, é muito mais fácil sairmos da inércia.
Para escrever um livro, por exemplo. Ao invés de simplesmente abrir seu editor de texto em branco e tentar escrever 150, 200 páginas de conteúdo, você pode quebrar esse trabalho em partes. É uma estratégia muito mais inteligente. Comece desenhando a estrutura da sua obra, liste quais capítulos você gostaria de escrever e, só então, comece escrever uma pequena parte de um capítulo. Tenha em vista o projeto todo, mas pense nas pequenas partes durante o processo.

2. Comece hoje

É incrível como sempre queremos deixar as coisas para depois. Como disse Homer Simpson, “Por que fazer hoje o que posso fazer amanhã?”. Assim a maioria de nós vai apenas empurrando nossos sonhos com a barriga. O amanhã nunca chega. Se você quebrou seu projeto em pequenas partes, ficará fácil dar seu primeiro passo hoje. Se você quer conquistar uma garota, por exemplo, que tal puxar papo com aquela garota que está bem na sua frente na fila do supermercado? Isso não significa que você irá conseguir pegar o número dela nem que conseguirá marcar um encontro, mas tenha em mente que esse é o primeiro passo que você pode dar ainda hoje para ficar mais próximo do seu objetivo. O que você irá fazer hoje?


3. Não precisa ser perfeito

Nos primeiros estágios do seu projeto, não tente alcançar a perfeição. Aceite que seu primeiro esboço não sairá genial. Mas você pode revisar esse trabalho mais tarde e aprimorá-lo. Este talvez seja o meu maior problema. Lutei contra ele por muito tempo. Eu simplesmente ficava paralisado por causa da minha tentativa de querer fazer tudo perfeito.
Para escrever este artigo, por exemplo, fiz um rascunho dos tópicos que gostaria de falar, comecei a escrever rapidamente tudo o que vinha à minha mente em cada uma das etapas. Mesmo sabendo que não estava perfeito, havia erros de português, pontuação, formatação. Somente depois, já ao final do meu primeiro rascunho, voltei em cada parte do texto para revisar e colocar ordem em tudo.
Certamente o texto que você está lendo melhorou muito desde meus primeiros rascunhos, mas ainda assim não está perfeito. Apesar de todo cuidado que tive, pode ter passado algum erro gramatical, alguma ideia pode ter ficado confusa ou ter faltado algum exemplo. Mas lembre-se de que feito é melhor que perfeito. Você deve focar primeiro em colocar a mão na massa e, somente mais tarde, aprimorar. Não fique preocupado com a perfeição. Ela costuma ser uma desculpa para a inércia.

4. Mantenha a consistência

Mais importante do que querer fazer tudo de uma vez é você conseguir manter a consistência ao longo do tempo. Se ontem você não seguiu sua dieta, não adianta hoje você passar o dia com apenas duas folhas de alface. O melhor que você faz é reconhecer que nem sempre as coisas vão sair como o planejado. Mas, a partir de hoje, você voltará aos trilhos. Lembre-se de que a consistência é como tomar banho. Se ontem você se esqueceu de tomar banho, hoje você não irá tomar dois banhos para compensar.

5. Comemore cada pequena vitória

Mesmo adultos, nós agimos exatamente como uma criança. Quem nunca ouviu um pai dizendo ao filho que ele somente irá ganhar o novo brinquedo se tirar boas notas na escola? Esse é um incentivo para um bom comportamento. Ao longo do caminho, é importante que nós tenhamos essas pequenas recompensas. Isso nos deixa motivados ao longo do caminho.
Após terminar aquela tarefa difícil, que tal se presentear com um jantar? Ou o prêmio pode vir de forma ainda mais simples. O efeito da recompensa será o mesmo. Se você acabou de zerar sua caixa de email pode se dar ao luxo de tirar uns 10 ou 15 minutos para ir à cozinha, tomar um café e dar uma relaxada. Quando você faz isso, fica muito mais motivado para continuar batendo outras pequenas metas. Ao final do dia, verá que cada uma dessas etapas terá te levado muito longe.

6. Defina um prazo

Comece qualquer projeto ou objetivo com um prazo em mente. O ideal é que, para cada tarefa você tenha um prazo definido. Dessa forma, fica fácil para você verificar se está dentro do cronograma do seu projeto ou se está atrasado. Essa sondagem ao longo do tempo será importante para que você não se perca no meio do caminho. Em alguns casos, talvez você precise rever seus prazos, especialmente para aquelas tarefas que são novas e, embora possa fazer uma estimativa, você não sabe exatamente quanto tempo irá levar.
Mas aqui, seja realista. Evite colocar prazos muito curtos, que você sabe que não vão funcionar. Por exemplo, você está 10kg acima do peso e começa uma dieta com a meta de perder todo esse peso em um mês. Tenha prazos mais realistas que, embora te desafiem, você sabe que pode alcançar. Ter essas pequenas vitórias ao longo do caminho será mais gratificante e motivador.

7. Aprimore somente ao final

Para começar, você não precisa fazer tudo de forma perfeita. Mas você também não quer fazer as coisas de qualquer jeito. Para escrever este texto, comecei o primeiro rascunho de forma extremamente rápida e o texto estava com erros gramaticais, formatação e organização das ideias. Somente ao final do primeiro rascunho, voltei revisando, cortando e alterando o que era necessário. Fiz isso algumas vezes.
Se eu tivesse, logo no início, me preocupado em escrever tudo certo, ou eu iria levar muito mais tempo para terminar ou eu acabaria procrastinando e nunca terminando o texto. Quando nos deparamos com uma tarefa que parece complexa essa costuma ser nossa reação. Por outro lado, quando você diz, “é só um rascunho, depois eu reviso”, as coisas acontecem com maior naturalidade.

8. Mantenha o foco

Homem com prancha de surf na praia
Chega início do ano e você começa fazer sua lista de todas as coisas que você deseja realizar ao longo do novo ano. Receber uma promoção no trabalho, escrever um livro, fazer uma pós-graduação, viajar a Paris, perder peso, aprender fotografia, saltar de pára-quedas, aprender a investir na bolsa, encontrar uma namorada. Caramba, é tanta coisa que, ao final, você acabará sem fazer a metade do que havia planejado.
Ter muitos projetos não é o problema. O problema é querer fazer tudo ao mesmo tempo. Eu tenho uma lista de várias habilidades que quero aprimorar ao longo dos próximos meses, como a dança e a fotografia, por exemplo. Mas apesar da minha lista gigante, eu ordenei cada uma dessas habilidades por ordem de importância e, enquanto não estou satisfeito com aquele item que está no topo da minha lista de prioridades, não passo para o próximo. Neste momento, por exemplo, estou estudando fotografia e, somente após aprender o que eu me propus é que irei passar para o próximo item.

9. Meça seu sucesso por trabalho concluído, não por horas

Separar 2h por dia para academia não adiantará nada se, quando chegar para o treino, você ficar batendo papo com seus amigos. Mais importante do que medir sua produtividade por horas é medir por trabalho concluído. Já tive dias de chegar ao escritório e, apesar de ficar o dia todo ocupado, não produzi absolutamente nada. Checar o email a todo instante, assistir a um vídeo do YouTube, ler uma notícia, responder ao WhatsApp assim que a mensagem chega. Enfim, são tantas coisas acontecendo que, se deixarmos, perdemos o dia com tarefas pouco efetivas.
Mais importante que passar a semana toda estudando para uma prova é você se perguntar: eu já estudei e entendi toda a matéria? Há algum ponto que ainda preciso revisar? Se você precisar de apenas 20 minutos para estudar, ótimo. Se precisar de alguns dias, tudo bem também. Lembre-se de que não são as horas empregadas nessa tarefa que vão garantir seu sucesso, mas você ter conseguido finalizar a tarefa.

10. Fuja das distrações

Durante um período do meu dia, geralmente pela manhã, eu fujo de todas as distrações que podem atrapalhar minha concentração. Uma boa parte do meu tempo eu passo estudando, pesquisando conteúdo para o blog, preparando palestras. Por isso, quando estou focado nessas tarefas que exigem concentração, deixo de lado celular, email, redes sociais. Se alguém me ligar ou mandar mensagem enquanto estiver trabalhando nessas tarefas, vou ignorar e somente retornar mais tarde. Foi a forma que eu encontrei para conseguir ser mais produtivo.
Além disso, existem alguns outros ladrões de tempo, como reuniões desnecessárias ou colegas de trabalho que querem conversar para passar o tempo. Observe, na sua rotina, quais são suas maiores distrações e tente controlá-las. Você verá que, facilmente, é possível ganhar de 1h a 2h por dia que antes você perdia distraído com coisas pouco produtivas e que podem ser melhor empregadas, para fazer uma atividade física ou ler um livro, por exemplo.

11. Mantenha o equilíbrio

Lembre-se de que ser mais produtivo e alcançar seus objetivos deve ser encarado como uma maratona, não um tiro de 100 metros. Você não quer passar alguns dias isolado do mundo, nem deixar de lado sua saúde física ou mental. Isso não é saudável e você não irá conseguir sustentar isso por muito tempo. O mais importante é você criar uma rotina recheada por hábitos saudáveis que vão ajudá-lo a alcançar seus objetivos de curto, médio e longo prazo.
Algumas das áreas mais importantes que você deve prestar atenção é a qualidade do seu sono, alimentação, atividade física, convívio social e atividades recreativas. Prestando atenção em cada uma dessas áreas, diariamente, você terá fôlego para correr sua maratona por muitos e muitos anos.

12. Simplifique, você não precisa de fórmulas mágicas

Cuidado com qualquer atalho milagroso para se alcançar seu objetivo. Todos nós sabemos que o “segredo” para o corpo dos nossos sonhos é a alimentação balanceada junto com atividade física regular. Ainda assim, muitos insistem em fazer a última Dieta da Proteína, Dieta das Estrelas ou quem sabe a nova Dieta das Cenouras. Geralmente os atalhos e promessas de fórmulas mágicas são perda de tempo. Sei que é chato ouvir isso, mas qualquer objetivo que realmente valha a pena sempre virá acompanhado de esforço, trabalho, superação.
Os homens, por exemplo, costumam usar o álcool como forma de vencer a inibição na hora de conhecer mulheres. Quando as pessoas estão sob efeito do álcool sim, elas irão ficar mais soltas e talvez fazer coisas que não fariam se estivessem sem beber. Mas aqui há dois riscos. O primeiro é o de passar do ponto ou precisar de quantidades muito altas de bebida para perder a timidez. Não preciso nem dizer que isso virá ao custo de, mais tarde, o homem bêbado ser incapaz de levar uma conversa decente com a mulher.
O segundo risco é o de simplesmente mascarar o problema e gerar uma dependência psicológica do álcool. Ninguém precisa beber para iniciar conversa com uma garota. Existem técnicas simples, como o Aquecimento Social, que ajudam a combater o bloqueio da abordagem. Infelizmente, muitos acabam pegando atalhos ao invés de realmente combater o problema.

Como desenvolvi o hábito diário da escrita

Há alguns meses eu decidi que queria escrever com maior consistência. Sempre gostei de escrever, tenho alguns livros publicados e algumas centenas de artigos escritos. Ainda assim, escrever nem sempre é uma tarefa simples. Há dias que acordo e estou inspirado para ligar o notebook e começar a escrever. Mas essa é não é a regra. Maior parte do tempo, é preciso concentrar, focar e ter objetivos bem claros. Não dá para ficar esperando a inspiração chegar para começar a redigir. Acabamos deixando o que é importante para depois. Pegue o exemplo da academia, da dieta ou estudar para uma prova. São raras as pessoas que têm disciplina ou que não deixam para última hora.
Meu objetivo era manter a consistência da escrita. Eu queria desenvolver o hábito diário de escrever pelo menos 500 palavras, estando inspirado ou não. Por que cheguei nesse número? Na verdade, 500 palavras é um número tão baixo que, quando acordo, penso: mas isso é tão pouco que consigo terminar em alguns minutos. Uma vez tendo vencido a inércia e começado e escrever, me sinto motivado, acho agradável e após alguns poucos minutos de concentração, acabo ficando totalmente imerso na tarefa. Geralmente acabo escrevendo muito mais que essas 500 palavras.
Quando estiver com preguiça de malhar, coloque sua roupa de ginástica e vá para academia para correr por apenas 5 minutos. É um esforço tão pequeno que qualquer pessoa pode se comprometer com ele. Depois de começar, será bem mais fácil você continuar por mais 5, 10, 30 minutos.

Trapaça mental

Comemorando vitória de braços abertos
Nem sempre a satisfação do ganho é o suficiente para nos motivar. Na verdade, somos muito mais motivados pelo sentimento de perda do que pela possibilidade de ganho. Daí eu comecei a pensar… Como eu posso me motivar ao longo dos próximos meses? Como criar alguma forma de punição caso eu não atinja minha meta diária? Conversando com um amigo, decidi fazer uma aposta com ele: caso eu não escreva pelo menos 500 palavras algum dia eu preciso pagar R$50 de multa.
Ou seja, ou eu sou disciplinado e escrevo ou sou punido com a multa. Esse sentimento de perda é um motivador muito mais potente do que o sentimento de ganho e, depois de fazer essa aposta, os dias sem escrever têm se tornado cada vez mais raros. Esse um tipo de trapaça mental que funciona quando precisamos nos motivar para algo que é importante para nós.

Você é do tamanho dos seus sonhos

Por maior que seja seu sonho, ao adotar as atitudes das pessoas de sucesso, você será capaz de chegar muito mais longe e atingir objetivos que aos olhos dos outros pareciam impossíveis. A hora de fazer o impossível acontecer é agora!

LIBERDADE - O MAIOR SONHO HUMANO

EMEF DONA LEOPOLDINA
Professor Solon Marcelo Lazzarotto

Liberdade: O maior sonho humano

Liberdade: O maior sonho humano
As pessoas possuem personalidades diferentes. São seres racionais, capazes de crer e duvidar, descobrir e inventar, vivem em sociedade, elaboram e seguem regras, mas, acima de tudo, sonham com a liberdade. Liberdade de ir e vir, pensar e sentir à sua maneira, expressar sentimentos e idéias, agir segundo seus desejos, experimentar e criar, desenvolver-se e realizar sonhos ou planos.
Desde que veio ao mundo, você deve ter dito e ouvido muitas vezes a palavra liberdade, porque ela está em toda parte: dos anúncios de cigarro aos ditados populares, das conversas de crianças aos debates entre grandes nações. Usa-se o termo liberdade em diferentes sentidos e situações. Por exemplo:
Há quem acredite que só há liberdade quando não há regras ou leis e quem pense o inverso:
sem regras ou leis, não haveria segurança e as pessoas não teriam liberdade sequer para sair de casa.
— Segundo algumas pessoas, temos liberdade para pensar o que quisermos, enquanto outras avisam que nossos pensamentos sofrem influências, mesmo quando não percebemos.
— Também existem as que se consideram totalmente livres quando possuem dinheiro ou estão sob o efeito de drogas. Há quem ache isso absurdo.
Alguns acreditam que temos absoluta liberdade de expressão. Mas e o fato de não podermos usar gírias ao falar com uma autoridade? perguntam outros.
Os exemplos mostram como é difícil compreender o significado dessa palavra que usamos tantas vezes e até sem pensar muito. O poeta Thiago de Mello denuncia esse uso inconseqüente e, em alguns artigos do poema Os Estatutos do Homem, pede que a liberdade seja mais que uma palavra. Leia atentamente o que ele diz.

ARTIGO XII
Decreta-se que nada será obrigado, nem proibido, tudo será permitido, inclusive brincar com os rinocerontes e caminhar pelas tardes com uma imensa begônia na lapela.
Parágrafo único:
Só uma coisa fica proibida:
amar sem amor.

ARTIGO FINAL
Fica proibido o uso da palavra liberdade,
a qual será suprimida dos dicionários
e do pântano enganoso das bocas.
A partir deste instante
a liberdade será algo vivo e transparente
como um fogo ou um rio,
e a sua morada será sempre
O coração do homem.

Liberdade ou escravidão?

Fazer tudo o que quiser, sem limites ou impedimentos, é o sonho de muita gente. No entanto somos sempre lembrados de que a liberdade de uma pessoa não deve invadir a de outra e que, para ser livre, é preciso ser responsável, pois toda ação tem conseqüências.
No século XVIII, Jean-Jacques Rousseau dizia que a liberdade só pode ser alcançada pela educação. Para esse filósofo, a liberdade do homem e sua capacidade de aperfeiçoamento fazem dele um ser diferente dos outros, mas que só pode ser bom quando os maus pensamentos e atitudes não o escravizam.
Essa e outras formas de escravidão surgem quando o homem deixa de refletir sobre sua realidade. Assim, ele também pode ser escravizado por outros homens, pelos vícios e até pelo desejo, estimulado pela mídia, de consumir sem limites coisas de que nem precisa.
Embora deseje ardentemente a liberdade, para sentir-se pleno e realizado, muitas vezes o ser humano foge da reflexão e deixa-se conduzir pelos outros.
A liberdade gera tanto entusiasmo quanto medo. Afinal, envolve a responsabilidade de fazer escolhas e tomar decisões, correndo o risco de errar. Nem sempre essas escolhas dependem só de nós, o que leva a uma questão importante: a liberdade absoluta é possível?
Para respondê-la é preciso lembrar que o homem faz parte da natureza. As demais criaturas são forçadas pelo instinto a certa forma de viver, enquanto o homem é capaz de construí-Ia e modificá-la, em muitos aspectos, sempre que julga necessário, apesar de não poder abrir mão de suas necessidades e tendências naturais. Escolhe o jejum, mas não evita a fome; escolhe a paciência, mas não impede completamente o surgimento da raiva. Mesmo que simplifique muito o seu modo de viver, sempre tem necessidades que, deixando de ser satisfeitas, comprometem-lhe a segurança e até a sobrevivência.
Além das necessidades, muitos acreditam que as regras limitam a liberdade humana. Por isso, há quem conteste todas elas. Outros julgam que as regras são sempre necessárias, pois as pessoas não conseguem agir corretamente longe delas. E existem aqueles que afirmam que participar de sua elaboração, com propostas e críticas, é a melhor forma de exercer a liberdade.
Logo no início da reflexão a respeito da liberdade, afirmamos que ela possui vários
significados. E hora de você conhecer alguns dos mais utilizados.
— Poder fazer tudo o que se tenha vontade.
— Poder fazer tudo o que a lei não proíba.
— Poder fazer tudo o que não cause dano a ninguém.
— Poder fazer tudo o que lhe faça bem.
— Poder fazer tudo o que se tenha necessidade.
— Poder fazer uma coisa sem a necessidade de fazê-la.
É possível que você concorde com um deles, com mais de um ou até sugira outro significado, mais abrangente ou menos polêmico do que esses. Com plena liberdade de pensamento e expressão, discuta o tema com os colegas em busca de um conceito satisfatório de liberdade.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

dinamicas jogos dos AUTOGRAFOS

Dinâmicas

Jogo dos autógrafos

Dinâmicas de Integração e Comunicação, competição e solidariedade
Finalidade:
Analisar os sentimentos de competição e solidariedade.
Condução:
O moderador distribui a cada participante uma folha de papel em branco e pede ao mesmo que anote o seu nome na parte de cima. Em seguida, cada pessoa deverá traçar um retângulo ao redor do nome.
Avisa aos participantes que eles terão dois minutos para cumprir a tarefa de colher autógrafos, pedindo que os demais assinem seus nomes de forma legível na folha. Esgotado o tempo, todos os participantes deverão ter suas folhas na mão.
Iniciado o jogo, forma-se uma verdadeira balbúrdia, com todos os membros buscando rapidamente obter o maior número possível de autógrafos, ainda que tal orientação tenha sido dada, nem o moderador tenha colocado qualquer proposta de prêmio ou vitória por conquista.
Concluído o tempo, o monitor solicita que todos os participantes confiram o número de autógrafos legíveis obtidos. Em seguida todos informam para o grupo o número conseguido.
Procede-se, então, a análise do jogo, indagando inicialmente qual o sentimento que ficou mais evidenciado durante o processo de coleta de autógrafos. Conclui-se que houve um forte sentimento egocêntrico na busca dos autógrafos, mas não na sua doação.
 
Gilma Maria de Souza NeubanerIpatinga, MG.
Dinâmica publicada na edição nº 269, jornal Mundo Jovem, maio de 1999, página 21.

sábado, 1 de agosto de 2015

Mudar é preciso

RH » Mudança » ArtigoEnviarComentarCompartilharImprimir

Mudar é preciso!

Muitas pessoas sentem-se confortáveis do modo em que se encontram e no meu ver não há problema algum nisso; outras são inquietas, ávidas por algo novo, já outras são bem resistentes quando o assunto é mudança. Mas há momentos em que mudar é preciso e isso faz parte do processo de inovação, aliás, as empresas que desejam permanecer no mercado, optam por mudar sempre, a cada segundo, buscando novas formas de inovar. E no meu conceito mudar e inovar são palavras que andam de mãos dadas.
Porém, nem sempre essa tal de mudança é bem aceita e ainda pode trazer consigo resultados não tão positivos. Culpa da mudança? Acho que não! Quem sabe o agente da mudança não tenha se esforçado o bastante para que a transformação fosse benéfica. Isso também me lembra uma palavrinha muito conhecida por nós: resiliência. Sim. Ela também faz parte do processo de mudança, pois em casos em que o mudar não trouxer benefícios, é necessário ser resiliente o bastante para encarar a situação, levantar e de cabeça erguida seguir em frente.
No entanto, o perigo em se conformar com a não mudança e resistir a ela é o que chamam de estar na zona de conforto. E estar nessa assim denominada zona de conforto é um perigo para àqueles que não sabem que podem ir mais longe. Na zona de conforto oportunidades são perdidas, negócios são fechados (falidos), conhecimentos são desperdiçados e não adquiridos. Enfim, uma porção de coisas boas e legais que podem alavancar carreiras, expandir negócios e permitir crescimento pessoal e profissional podem ser perdidas por se resistir às mudanças.
Uma frase que traduz bem a mensagem que quero deixar é a seguinte: "Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças". Leon C. Megginson.
Todavia, se alguns se sentem bem na condição em que estão, então ótimo!
Mas cuidado! Ninguém deve sair por aí achando que toda chance de mudar é uma boa oportunidade. Para mudar é necessário avaliar prós e contras, se isso trará benefícios válidos, se é realmente o que você quer. Colocar isso em algum lugar que mostre de forma clara o que se está prestes a fazer, a exemplo de escrever como se dará essa mudança, aconselhar-se com alguém que inspire confiança entre outas coisas. Avalie com cuidado a mudança para que ela possa trazer resultados excepcionais. Siga estes passos:
1 - Identifique a necessidade de mudança.
2 - Prepare-se / planeje-se para a mudança.
3 - Aja. Realize a mudança.
4 - Avalie os resultados.
5 - Sistematize/monitore.
Como dito anteriormente, as empresas que querem se manter no mercado precisam estar atentas a essas mudanças e acompanhá-las, claro que sempre respaldas por um bom projeto.
No caso dos profissionais, a coisa não muda muito. Para aquele que tem como objetivo manter-se ativo no mercado e se tornar competitivo e atrativo, deve sim adaptar-se a essas mudanças, afinal o mercado de trabalho está em constante mudança. Outro ponto que merece menção é que você deve acompanhar essas mudanças e inovar dentro de sua área de atuação, fazer cursos de extensão, qualificação, idiomas etc., permitem que você saia da zona de conforto e ainda inove no sentido de aumentar suas competências, ou seja, seu conhecimento sobre determinada área.
Mas se seu objetivo é mudar e inovar para literalmente mudar de área, você precisará de um projeto para isso, para não cometer o erro de "atirar no escuro". O que eu sugiro: estude bem a área que pretende atuar, conheça como o mercado comporta-se em relação a esta área, saiba quem são seus concorrentes, potenciais consumidores e clientes, onde estão, quais meios você vai usar para chegar até eles e se fazer conhecer, saiba das oportunidades que a nova área de atuação oferece bem como as ameaças e fraquezas inerentes a elas. Outra dica é fazer uma análise SWOT pessoal, isso mesmo, aquela que fazemos para Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Coloque nos campos todas as informações que julgar necessário e a partir daí você já terá uma ferramenta para seguir em frente: o autoconhecimento.
A mudança faz parte de nossas vidas, teremos que lidar com elas a todo o momento, então nada melhor que estamos preparados para isso. Afinal de contas, mudar é preciso!
Boa mudança!