segunda-feira, 30 de setembro de 2013

ENDOMARKETING : OS 4 PROBLEMAS PRINCIPAIS

ENDOMARKETING : OS 4 PROBLEMAS PRINCIPAIS

VOCÊ SABE ADMINISTRAR SEU TEMPO

Você sabe administrar o tempo? Por Karina Magolbo, Dione JungesEdição 09/2013 Você sabe administrar o tempo? Você é daqueles que ainda pensa "não tenho tempo para me organizar, estou muito ocupado vendendo" ou então "meia hora de atraso não tem problema, afinal, o cliente também se atrasa"? Vive com a corda no pescoço quando o assunto é tempo? Mais parece o coelho da história da Alice no País das Maravilhas, que vivia correndo de um lado para o outro dizendo: “É tarde! É tarde! É tarde até que arde!", está na hora de parar e mudar essa situação. Raúl Candeloro, fundador e diretor da VendaMais, enfatiza que o tempo é igual para todos. Segundo Candeloro, administrar corretamente o tempo, na verdade, é admi­nistrar ENERGIA. “Eu consigo administrar coisas que estão sob o meu controle: meu foco e minha energia. O tempo não está sob o meu controle, um segundo vai passar de qualquer maneira, ele existe e é imutável. Agora, o que eu faço nesse segundo, aí sim está no meu controle. Aliás, um dos maiores problemas das pessoas confusas e com má administração do tempo é a falta de clareza em relação aos seus grandes objetivos e prioridades, justamente o que ela deve fazer dentro deste tempo que passa”, esclarece. As dificuldades na administração do tempo É possível perceber a má administração do tempo. Os especialistas são unânimes nos “sintomas”: stress, irritabilidade, incapacidade de concentração, perda da noção do tempo (atrasa-se com frequência para os compromissos), retrabalho, procrastinação, entre outros. Para o especialista em administração de tempo e produtividade e CEO da Triad PS, Christian Barbosa, a pessoa que não administra bem o seu tempo acaba perdendo vida. “A pessoa que não organiza as tarefas, acaba virando uma escrava das circunstâncias e tudo se torna uma urgência. É preciso limitar seu tempo, aprender a usar bem as horas dentro do expediente e evitar uma sobrecarga de horas extras”. Você sabe quais os grandes inimigos ou desperdiçadores do tempo? Christian Barbosa aponta os fatores que mais geram desperdício de tempo: Não ter objetivos definidos. Se você não sabe o que quer, o tempo vai passar e nada vai acontecer, mas com certeza vai estar sempre com a sensação de que fez um monte de coisas. Escolha um ou dois objetivos extremamente realistas e pé no chão, para os próximos meses, escreva-os e detalhe um plano de ação. Ter algo mesmo que não seja “o plano perfeito” é melhor do que não ter nada. Achar que o momento certo ainda vai aparecer. O momento certo é um mito, ele não existe. As condições perfeitas nunca vão acontecer na hora que você precisa. Faça o momento certo ser o momento em que você decidir começar a sair do lugar, quem espera nunca alcança, ou nesse caso fica no mesmo lugar. É a lei da inércia. Não planejar seu tempo. Se você deixa a vida fluir como um rio, vai acabar como um peixe: na mesa de alguém ou nadando aleatoriamente. É preciso dar um norte para a semana, para o mês, para o dia. Se você não planeja nada, as coisas simplesmente se tornam urgentes e você fica sem tempo de fazer a vida evoluir. Não ter uma agenda eficiente. Se você anota as coisas que precisa fazer na cabeça, no post it, no caderno em qualquer lugar que tiver mais próximo, você é um forte candidato a se perder entre suas tarefas, não conseguirá planejar de forma adequada e quando perceber não terá tempo para nada. Agenda eficiente é aquela que centraliza tudo que você precisa fazer, te permite planejar e está sempre presente com você. Usar o fim de semana para procrastinar a vida. Nada contra pegar um fim de semana de preguiça e não fazer nada, mas se você faz isso com a maior parte dos seus fins de semana tem algo errado. É no fim de semana que temos a oportunidade de recuperar a energia, de colocar a leitura em dia, de fazer algum curso, de ter tempo com os amigos, de estudar algo novo, de elaborar melhor suas ideias. Achar que alguém é responsável pela sua carreira. Não é a empresa, não é seu chefe, não são seus pais, seus amigos ou seus professores que fazem sua carreira. Você é que tem que constantemente usar seu tempo para investir em cursos, networking, eventos, estágios etc. Não correr riscos. Se você faz o que costuma fazer sempre, vai ter o resultado de sempre. Os medíocres são aqueles que ficam na média. Os visionários, nada mais são do que pessoas que correram o risco e deram certo. Visionários erram, mas é errando que torna os riscos mais calculáveis. Alguma coisa você precisa arriscar, pense bem, analise com cautela, veja os prós e os contras e vá em frente. Reclamar. As coisas não dão certo sempre, a vida vai ter um monte de burradas, de erros, de traições, de mágoas, de perdas etc. Aprenda com os erros, faça uma análise e comece de novo. Perder seu tempo reclamando só vai piorar a situação. Enquanto você reclama, com certeza alguém já está começando a fazer a história de sucesso do amanhã. Excesso de Redes Sociais. Eu gosto do Facebook, Twitter, Linkedin. Na medida certa eles fazem a diferença na vida pessoal e profissional. Agora se você está viciado nas redes e deixa de fazer coisas importantes, com certeza vai ser bem difícil de evoluir. Para começar bem Mudança de hábito. Este é o grande desafio segundo Raúl Candeloro. “As pessoas ficam “viciadas” no stress, na correria. Falam com orgulho: “minha vida está uma correria, é uma loucura”, como se correria e loucura fossem sinônimos de produtividade. Se a pessoa está viciada em hábitos improdutivos, leva um certo tempo para sair deles”, explica. Richeli Sachetti, coach pela Sociedade Brasileira de Coaching, afirma que culturalmente aprendemos a deixar as coisas para última hora, principalmente àquelas que demandam mais tempo e complexidade, pois aprendemos que com um “jeitinho” tudo acontece. “É preciso criar um novo modelo mental, agora com hábitos que ofereçam mais segurança e serenidade, pois o cérebro quando está estressado perde a maior parte de sua capacidade pensante, não consegue ser criativo e raciocinar boas opções de ações nas mais diversas áreas da vida”. A especialista ressalta que para criar um novo hábito, basta compreendermos os benefícios em curto, médio e longo prazo que nos trará e repensarmos os efeitos negativos que o hábito atual nos gera ou pode nos gerar caso permaneçam. “Depois é preciso ações que irão sustentar o novo mapa, o novo hábito. Os ganhos obtidos pela mudança nos fazem persistir”. Para melhorar o gerenciamento do tempo é preciso estipular uma meta palpável, para direcionar a dedicação de tempo ao trabalho, controlar a ansiedade e definir o que necessariamente precisa ser feito naquele dia. Christian Barbosa ressalta que “o trabalho é infinito, ele sempre vai estar lá com coisas novas, oportunidades e demandas inesperadas. Em compensação, nosso tempo é finito”. Sendo assim é preciso que você limite seu trabalho, caso contrário ele vai roubar todo o tempo. Planejar, priorizar e limitar é a tríade que a liderança precisa aplicar, segundo Barbosa. “Não adianta chegar ao topo e ser um solitário, sem família, sem amigos para curtir. O importante é estar no topo e junto com as pessoas que são importantes. O fracasso dentro de casa não compensa nenhuma vitória corporativa”, comenta. Resistências Grande parte dos profissionais apresenta algum tipo de resistência ou bloqueio quando se coloca em pauta metas, organização, planejamento ou gerenciamento do tempo mais especificamente. Na opinião de Richeli Sachetti, os principais bloqueios são: você acreditar que não tem tempo e que administrá-lo é impossível, outra é achar que não pode dizer não e o maior bloqueio é não se permitir a grandes objetivos e depois deixá-los claros e definidos com propósitos. O famoso ditado “tempo é dinheiro” está cada dia mais presente na rotina das pessoas. A especialista ressalta que diariamente nos vemos aprisionados por agendas cheias, ônibus lotados, congestionamentos quilométricos, filas para tudo, e assim acabamos tendo a sensação de que estamos “perdendo dinheiro” em locais ou situações que não sabemos como evitar. Mas, o que pode ser feito para reduzir esse tipo de desperdício de tempo ou ainda aproveitá-lo de forma produtiva? Para o consultor sênior do Instituto MVC, Francisco R. Bittencourt, uma programação estruturada, levando em consideração os fenômenos que poderão nos afetar, e que estão fora de nosso controle. “É preciso consciência do que se propõe a realizar. Não simplesmente ciência, ou seja, não simplesmente saber o que deve ser feito, mas também e, principalmente, porque deve ser feito”. Saber o que vai ser feito no dia seguinte é um ponto que auxilia muito na rotina de um profissional. Raúl Candeloro afirma que, revisar o dia é uma etapa muito importante e permite que você seja proativo ao planejar o seu dia de amanhã. Você vai dormir melhor sabendo que o dia de ama­nhã está preparado e alinhado com todo o seu trabalho. Seu cérebro teve tempo para pensar em tudo aquilo e você vai perder menos tempo “aquecendo” para as tarefas no dia seguinte, tendo muito mais controle sobre elas. Todo o processo deve ser gerido pelo planejamento de suas rotinas, “a organização pessoal, a capacidade de planejar, e segundo Peter Drucker, a predisposição para “planejar o planejamento”, ter o foco nos objetivos a serem alcançados, identificação de recursos, sistemas e processos para o alcance de seus objetivos e metas” afirma Francisco R. Bittencourt. Sempre estamos em busca de melhores métodos para alcançar objetivos, de qualificação profissional, de tempo para atividades mais particulares. Como afirma Christian Barbosa, temos um monte de tempo em que teoricamente não poderíamos fazer nada, mas se pararmos para pensar ele pode ser muito útil. Aproveite todos esses momentos. “No carro, por exemplo, você pode comprar audiolivros, CDs de cursos de inglês, espanhol ou até mesmo baixar o MP3 de videoaulas que você ia ver pela Internet para ouvir no carro. Você pode andar com um caderninho ou tablet e na sala de espera começar a rascunhar os passos do seu objetivo.” Benefícios da administração do tempo Para o especialista Christian Barbosa, o melhor aliado da administração do tempo é o planejamento. Comece com uma lista de prioridades do que realmente deve ser feito. Se algo for opcional, deve ir para outro dia. Essas prioridades não podem nunca lotar todas as suas horas de trabalho, ou você vai adiar e se frustrar. “Isto é treino e disciplina. É você que vai aprender a controlar não apenas o tempo, mas seus dedos, sua ansiedade, sua atenção. É no gerenciamento próprio que conseguimos não nos tornar escravos do que poderia ser, na verdade, nosso aliado.” O planejamento do seu tempo passa por atividades relativamente simples como, ter uma agenda, definir objetivos, alinhar tarefas que vão auxiliar na busca desses objetivos, separar um tempo em seu dia para tarefas que te fazem sentir prazer, organize as semanas de um mês separadamente, essas e mais algumas atitudes, trazem grandes benefícios ao profissionais. Raúl Candeloro apresenta algumas vantagens proporcionadas a quem sabe administrar o tempo corretamente: Com um bom planejamento, você, em média, consegue liberar de uma a duas horas do seu dia. Estima-se que para cada minuto organizando e planejando seu dia, você ganha 10 minutos de produtividade. Você cria condições de pensar, antecipar e ser proativo ao invés de ser reativo. Você tem uma maior sensação de controle sobre sua vida. Você tem mais tempo e, principalmente, mais energia para sua família e amigos (isso é importante porque de nada adianta chegar em casa mal-humorado ou sem vontade de brincar com os filhos ou conversar com a esposa/marido). Não é somente tempo, é também energia disponível. Você tem mais tempo e mais energia para se desenvolver e estudar. Você tem mais tempo para seus hobbies e atividades de lazer. Agenda É preciso foco e processos para não se perder nos compromissos nem deixar de realizar tarefas importantes no dia a dia. A agenda é uma grande aliada para tornar o gerenciamento do tempo eficaz. Esta é uma certeza que a equipe da Editora Quantum já tem e por isso lança mais uma edição da Agenda VendaMais, única do Brasil específica para a área de vendas. A agenda é importante para organizar a vida. De acordo com Christian Barbosa, é preciso criar compromissos e tarefas relacionadas a papéis e relacionamentos importantes da sua vida. “Crie o papel EU S.A. e planeje ações que possam satisfazer o seu eu, coisas que você gosta, que vão fazer você se sentir bem e mais energizado. Comece se perguntando o que eu quero fazer de importante para mim? Bloqueie um horário na sua agenda e faça uma reunião com você. Leve esse você S.A. para passear, ou assistir aquele filme, ouvir aquela música ou apenas escutar o que ele quer dizer de importante. Não perca tempo e organize-se! O modelo 2014 da Agenda VendaMais, assim como os anteriores, é pensado exclusivamente para o dia a dia e a realidade do profissional de vendas, em que cada detalhe faz diferença na rotina do vendedor. Nesta edição da agenda, o vendedor é instigado a uma reflexão: você sabe administrar o tempo? Este é o tema do próximo ano, que assim como os anteriores não se limita apenas à função de “organizar compromissos e tarefas”, mas também incentiva o desenvolvimento profissional do vendedor com conteúdos específicos. Para Josusmar Alves de Sousa, diretor da Mister Líber, ter uma agenda hoje em dia é primordial, principalmente com tantos afazeres. “O maior ativo que o ser humano tem é o tempo, se não souber usar ou aproveitar cada minuto de seu tempo, através de uma organização baseada na preparação das antecipações de todas as tarefas e compromissos durante os dias, as semanas, as quinzenas e os meses, você perde o controle”. Para Souza existem grandes diferenciais na Agenda VendaMais. “Você pode dividir suas metas por semana, mês, trimestre e quadrimestre, através de um planejamento de metas palpáveis. A estratégia utilizada é muito simples, diz Souza. “É só fazer nos primeiros seis meses tudo o que fizemos no ano anterior. Parece difícil, mas não é, pois como o ditado diz: quem não sabe aonde vai, nunca chega”. O maior desafio de administrar o tempo é além de muita disciplina, organizar a Empresa/Área de vendas com tantos feriados e interrupções, esclarece Souza. “Temos filiais nas principais capitais do País, e em cada uma delas existem muitas diferenças, paralisações e calendários diferentes. Nossas equipes de vendas precisam estar sempre muito motivadas, e um dos motivos para ação é ter uma ferramenta essencial ao seu lado, que é uma excelente agenda de vendas e se possível a agenda VendaMais”, finaliza. Os 7 pecados da gestão do tempo No módulo “Administração do Tempo” do GEC (Gestão de equipes Comerciais) Raúl Candeloro traz os 7 pecados da administração do tempo. Procrastinação – Pro­crastinar é jogar para amanhã as coisas que tenho que fazer hoje. Muita gente tem uma série de tarefas ou decisões que precisam tomar, mas criam o hábito de não resolver isso rapidamente. Deixam para ver depois e as coisas vão se acu­mulando, até que algumas se tornam urgentes. As urgentes demandam mais tempo da sua atenção e tiram o foco das coisas realmente importantes. Tudo isso pode ser evitado se você resolver o que tem que resolver, sem enrolar, sem deixar para depois. Falta de Foco e de Clareza – Esse pecado tem a ver com definir metas: ou elas não estão definidas ou estão defini­das de maneira incorreta. Um bom exercício para perceber isso é fazer uma lista das suas principais prioridades na vida. Não saber lidar com excesso de informação – Estamos rodeados de informação: jornal, e-mails, Facebook e Twiter, relatórios, liga­ções, visitas, livros, TV etc. Nossa vida virou um acúmulo de papéis e coisas para ler, tanto em cima da mesa quanto no computador. Para lidar com isso implemente dois novos hábitos no seu dia: estabeleça horários específicos para ler e responder suas mensagens de e-mails. Seja disciplinado e siga o plano e comece todos os seus dias revendo seus objetivos e prioridades. Falta de disciplina – Tal­vez esse seja o mal do século: essa dificuldade que temos de realmente fazermos aquilo que sabemos que deve ser feito. Baixa autoestima – Quando a pessoa tem baixa autoestima ela tem a tendência de procrastinar e de passar as necessidades dos outros na frente das suas próprias. Ladrões de tempo – São pequenos buracos que tem no seu dia a dia que fazem com que o seu tempo comece a sumir. Esses ladrões de tempo roubam também energia emocional, física e racional. (trânsito, filas, etc.) Falta de ferramentas adequadas para administrar o tempo – Desenhe o seu dia, mas não apenas com um monte de tarefas colocadas de qualquer jeito. As tarefas precisam estar alinhadas com seus valores e seus objetivos comerciais e rela­cionadas ao que precisa ser realmente feito naquele dia. Ao desenhar o seu dia, lembre-se sempre de deixar alguns espaços para imprevis­tos e para as tarefas operacionais como responder e-mails, atender necessidades de outros departamentos, ajudar a equipe, etc. Revisar o dia é outra etapa muito importante e permite que você seja proativo ao planejar o seu dia de amanhã. Todos sabem a importância de saber gerenciar bem o tempo. Porém, sempre surgem coisas que acabam interferindo em nosso dia de trabalho e reduzindo as vendas. Realizamos uma pesquisa no Facebook para saber quais são os “pecados” mais comuns quando se fala em gestão de tempo em vendas. Mais de 500 pessoas participaram. Confira. 20.72% 52.23% 4.28% 2.49% 1.54% 2.40% 5.82% 3.77% 3.60% 3.25% Achar que não tem tempo: “estou cheio de coisas para fazer”; Falta de foco e disciplina no trabalho: “amanhã eu faço” ou “ainda tenho tempo”; Planejar demais: “é melhor eu planejar melhor isso”; Falta de ferramentas: “não tenho agenda e esqueço os compromissos”; Ambiente de trabalho desorganizado: “nunca acho minha caneta quando preciso dela”; Lotar a agenda e não ter tempo para mais nada: “hoje tenho reunião até na hora do almoço”; Uso exagerado de internet e redes sociais: “vou só dar mais uma olhadinha no face”; Não ter tempo para capacitação pessoal: “que pena que não tenho tempo para fazer esse curso”; Não descansa e não se desliga do trabalho: “vou só olhar o e-mail do trabalho para ver se o meu cliente respondeu e vou dormir”; Baixa autoestima: “não sei vender mesmo, nunca alcanço as metas”;

sábado, 28 de setembro de 2013

Pessoas e Gestão: A importância do endomarketing na gestão de pessoa...

Pessoas e Gestão: A importância do endomarketing na gestão de pessoa...: Olá queridos leitores! Chegou o momento de falar sobre Endomarketing! Este é apenas um pontapé inicial, pois o assunto é muito amplo e...

A Casa do Marcelo: ENDOMARKETING: Diferencial Competitivo?

A Casa do Marcelo: ENDOMARKETING: Diferencial Competitivo?: Andréia Romanatto Moro * RESUMO A busca constante da diferenciação de marcas tem objetivo de tornar as empresas mais competitivas. Esse...

sábado, 21 de setembro de 2013

Uma_Leitora: Opinião de Uma Leitora: S.E.G.R.E.D.O, L. Marie Ad...

Uma_Leitora: Opinião de Uma Leitora: S.E.G.R.E.D.O, L. Marie Ad...: S.E.G.R.E.D.O. Autora: L.Marie Adeline Editora: Globo Livros 224 páginas Sinopse:  Cassie é chamada a participar de uma soci...

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Portal Gestão de Pessoas: Vaga 16-09-2013 - Coordenador de RH

Portal Gestão de Pessoas: Vaga 16-09-2013 - Coordenador de RH: EMPRESA EM FASE DE EXPANSÃO, RAMO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE, SITUADA NA CIDADE DE CRAVINHOS/SP (CIDADE A 18 KM. DE RIBEIRÃO PRETO/SP...

sábado, 14 de setembro de 2013

Organização para Desorganizados

Competência Emocional no Trabalho

DEPRESSÃO SE MANIFESTA DIFERENTE EM HOMENS

00:00 DEPRESSÃO SE MANIFESTA DIFERENTE EM HOMENS | Marcadores: saúde mental, Transtornos e Síndromes Homens podem sofrer de depressão quase tão freqüentemente quanto as mulheres, de acordo com um novo estudo da Universidade de Michigan. Tradicionalmente, as mulheres foram diagnosticadas com depressão com mais ou menos o dobro da taxa dos homens, cerca de 20% das mulheres tornando-se deprimidas em algum momento de sua vida. Nos últimos anos, no entanto, alguns pesquisadores tem se questionado se talvez eles não tem feito aos homens as perguntas certas. Por exemplo, enquanto as mulheres podem mostrar a sua depressão através de sintomas como choro ou insônia, a depressão masculina pode mostrar-se como a raiva, agressão, abuso de substâncias ou a exposição a riscos, tais como jogos de azar ou flertes, disse a principal autora Lisa Martin, Ph.D., professora assistente na Universidade de Michigan. Quando estes tipos de sintomas foram levados em conta na pesquisa, os especialistas descobriram que cerca de 30% dos homens e mulheres haviam estado deprimidos em algum momento de suas vidas, de acordo com o estudo publicado no JAMA Psychiatry. O estudo envolveu 3.310 mulheres e 2.382 homens e é o primeiro a olhar para as diferenças de gênero nas taxas de depressão em uma grande amostra nacional, disse Martin. No entanto, nem todos os especialistas aceitam que a depressão se manifesta de forma diferente em homens e mulheres, disse Peter Kramer, MD, professor clínico na Universidade de Brown, não envolvido no novo estudo. Ele acrescentou que a noção de diferenças de gênero em sintomas de depressão ainda é uma ideia nova. Kramer observou que as taxas de transtorno bipolar – em que as pessoas podem alternar entre depressão e mania – são semelhantes entre homens e mulheres. Mas as taxas de muitas outras condições variam de acordo com o sexo. Por exemplo, autismo e transtorno de déficit de atenção e hiperatividade são muito mais comuns entre os homens, enquanto que os transtornos alimentares são mais comuns entre as mulheres. No entanto, Martin acredita que a mudança dos critérios para o diagnóstico de depressão pode levar a mais homens a procurarem ajuda. “Se conseguirmos fazer com que os homens que sofrem de depressão a reconheçam em si mesmos e comecem o tratamento, será muito significativo”, disse Martin. Homens deprimidos são tipicamente muito menos propensos a procurarem tratamento, disse Martin, em parte porque alguns homens veem o pedido de ajuda como um sinal de fraqueza. Ela acrescentou que os médicos lhe dizem que os homens não são tão propensos a procurarem ajuda por eles mesmos. Pelo contrário, os médicos dizem que os homens entram em seus escritórios só porque “tem recebidos ultimatos de suas esposas ou seus empregadores”, que ameaçam com divórcio ou demissão, a menos que mudem seu comportamento. Texto de TRACI PEDERSEN, Editora Associada de Notícias Revisado por John M. Grohol, Psy.D., em 31 de Agosto de 2013 Fonte: PsychCentral

A dificil arte de ser um bom líder

A difícil arte de ser um bom líder Postado por Pri Tescaro, no dia 19 de abril de 2012 Categoria: Negócios Cada vez mais empresas procuram profissionais com capacidade de liderança. Formar e/ou encontrar líderes não é uma tarefa fácil e, quando as organizações acham pessoas com esse perfil, fazem o possível e o impossível para mantê-los nos cargos, pois sabem que um bom líder faz toda a diferença. Em meu trabalho em comunicação interna vivenciei situações em que ter um bom líder no comando da equipe faz a diferença para que as empresas possam atingir suas metas e conquistas excelentes resultados. É claro que ter uma equipe competente contribui em muito para o trabalho ser positivo, mas um bom e competente comandante é fundamental para manter a motivação em dia e puxar os profissionais para que desenvolvam seu trabalho com qualidade. Pincei algumas dicas de leituras que fiz nos últimos anos e que estou repassando nesses dias de novos projetos profissionais.#ficaadica √ A melhor forma de persuadir a equipe é com os ouvidos. Os verdadeiros líderes também tem cuidado em ouvir mais do que falar. Ouça muito!! √ Os líderes sábios sabem que não devem perder a calma, mas também não podem dar trégua aos seus adversários. √ Tenha caráter e seja firme. Uma atitude calma que não é facilmente abalada, mesmo no auge de uma batalha, é sempre mais vantajoso. √ Encontre uma válvula de escape para momentos de tensão, para não descarregar na equipe. Todo ser humano precisa extravasar de alguma forma suas pressões diárias e, se você é líder, faça isso de maneira regular. √ Seja firme mas não se leve tão à sério. Demonstrar que tem interesse por aquilo que sua equipe está falando é uma importante atitude para conquistá-la. √ A humildade é uma importante qualidade do bom líder, pois ela pode contribuir para criar uma forma de trabalho de cooperação e com mais entusiasmo.

RESPEITE E SERÁ SEGUIDO

RH » Liderança » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir Respeite e será seguido! Por Simone Oliveira para o RH.com.br Liderança é um assunto extenso e necessário de ser abordado nos dias de hoje. No mercado existem muitos cursos de aperfeiçoamento que focam as competências da liderança e todas as organizações têm procurado com maior frequência. Embora, na maioria das vezes, os cursos têm orientado o que o líder deve fazer e se esquecem da pessoa enquanto líder, como ela é e deveria ser. Essa constante procura e aperfeiçoamento não é para menos, pois são os líderes que desenvolvem os colaboradores, reconhecem e retém os talentos, trazendo o tão desejado resultado para organização e para o pessoal. Afinal, todos estão "remando no barco empresa". Fico pensando nesse assunto e sempre acabo definindo liderança como RESPEITO. Respeito é uma palavra tão simples, mas de significado grandioso. No dicionário traz definições interessantes e de ampla reflexão: - Sentimento que nos impede de fazer ou dizer coisas desagradáveis a alguém. - Dar provas de respeito = honrar, venerar. - Observar, cumprir, tolerar. Pense bem, o que você faz com o seu colaborador, é o que você gostaria que fizessem com você? Independente da posição hierárquica em que você está. Sinto um pesar muito grande, quando vejo na clínica, pacientes que chegam desmotivados, amedrontados e que estão sendo assediados moralmente, demonstrando a falta de preparo que alguns líderes ainda têm com seus colaboradores. O que mais eles dizem: "eu não quero mais ir lá!". Em plena época de competitividade acirrada e de gestão de talentos, que tanto se fala das pessoas e seu grandioso poder de conhecimento, ainda temos nas organizações líderes muitas vezes egocêntricos, que dão sempre a última palavra para tudo e tudo tem que ser exatamente da forma como determinam; assumindo uma postura individualista e bem improdutiva. Se liderança é a aptidão de levar alguém a cooperar espontaneamente, de liberar a capacidade de criação das pessoas e despertar a vontade de ser seguido pelo exemplo, a falta dela dá ao colaborador a estratégia de fingir que faz e que obedece ou ainda que faça o mínimo para se manter na organização e sobreviver. As organizações, no entanto, perdem excelentes profissionais e consequentemente a competitividade no mercado. Compreenda que os resultados virão com as pessoas e não através delas. Orientando-se para que a liderança seja natural situando o colaborador, a pessoa em evidência, com RESPEITO. Liderar pessoas realmente não é uma tarefa simples, mas requer muita dedicação ao que se faz. Reforço ainda que para se dedicar a algo é preciso gostar do que faz e quando se espera um retorno satisfatório de desempenho das pessoas é preciso respeitá-las antes de tudo! Primeiro goste de você, se aceite e reconheça seus limites, medos e talentos, esse já é grande diferencial na arte de liderar. Quando você se aceita você consegue aceitar o outro, como ele é. Recordo de um texto escrito por Drauzio Varela muito interessante, "Se não quiser adoecer", que explica que pessoas que não se aceitam são invejosas, ciumentas, imitadores, competitivos e destruidores. Desenvolva sua competência emocional. Não dispute com seu colaborador, o sucesso dele é certamente o seu! Valorize o trabalho e a iniciativa que ele tem. Você está lapidando um talento. Colabore fortalecendo o espírito de equipe. Saiba ouvir. Busque as soluções e não os problemas. Acho muito bonita a metáfora: acenda uma luz na escuridão. Dê oportunidades e espaço para que ele faça o trabalho dele. Você verá que ele tem capacidades que você desconhecia. E muitas vezes, conduz as coisas melhor que você. Não se apodere das ideias dele como se elas fossem suas, saiba dar o devido crédito. Cada um tem sua personalidade, suas habilidades e seu desempenho. Lembre-se de que: cada um tem seu tempo e quando bem apoiado e orientado desenvolverá trabalhos surpreendentes. A liderança é um trabalho de mão dupla, é imensamente satisfatório ver a evolução dos colaboradores, os resultados obtidos. É gratificante saber que à medida que ele se transforma, você também e cresce muito como profissional e como ser humano. Aprende muito dessa arte de liderar. Lembre-se: Respeite e será seguido!

Não fuja do lobo mau – Ele poderá vir atrás de você

09/09/2013RH » Grupos » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir Não fuja do lobo mau – Ele poderá vir atrás de você! Por Damaris Alfredo Silva de Oliveira para o RH.com.br Pesquisas revelam que ao ser admitido em uma organização uma pessoa leva em consideração a empresa, os benefícios oferecidos, o cargo que irá exercer e o desenvolvimento que terá na carreira. Porém, muitas vezes, não conseguem administrar os conflitos existentes na área e por conta de pessoas difíceis e acabam-se desligando das organizações. Pessoas difíceis são aquelas muitas vezes egocêntricas, dão sempre a última palavra e tudo tem que ser exatamente da forma como elas querem. Não conseguem ouvir, têm dificuldades para se expressar de forma clara e assertiva. São pessoas que possuem uma competitividade acirrada e são individualistas, para elas ganharem o outro tem que perder. Este tipo de pessoa tem uma percepção distorcida sobre si mesmo e também sobre o meio em que vive. Não enxergam que são um mal para organização e que comportamentos assim não produzem mais resultados organizacionais. Conheço profissionais que ao se depararem com pessoas difíceis preferem se desligar da empresa, ao invés de aprender a conviver com tais indivíduos. Cada caso é um caso, não podemos generalizar. Há situações impossíveis de se conviver. Porém há situações que dá para se administrar, uma vez que pessoas difíceis ou com ego exacerbado existem em qualquer organização. Aprender a lidar com esses profissionais é considerado hoje uma competência essencial para o sucesso, ao passo em que quando você aprende a lidar com pessoas consideradas complicadas, você poderá lidar com qualquer pessoa com este tipo comportamento. O primeiro passo é não se importar tanto com esta conduta, ao menos não deixar se influenciar por isso. Há situações que quanto mais nos importamos mais insuportável a situação se transforma. O melhor a fazer é tirar o indivíduo do seu campo de visão. Procure enxergar os pontos fortes que este profissional possui, pois isto facilitará a aumentar a sua admiração e contribuirá para minimizar o efeito que o comportamento desta pessoa tem sobre você. Procure entender e compreender os motivos que leva este profissional a ter tal atitude, porque, às vezes, é a insegurança que o faz agir de tal modo. Não adianta fugir, apesar de ser uma estratégia poderá dar certo por um tempo. Contudo, provavelmente você encontrará um novo lobo mau e o que é pior, à medida que fugimos deles ressurgem em versões pioradas. O melhor a fazer é enfrentar logo este bicho papão, domá-lo e tirar todo o aprendizado que esta convivência poderá te proporcionar. Não fuja do lobo mau, pois provavelmente ele virá atrás de você! Pense nisso e rumo ao sucesso! Palavras-chave: | conflito | desemprego | emoção |

domingo, 8 de setembro de 2013

sábado, 7 de setembro de 2013

Marcia Luz TV 07 - Gestão de pessoas: remuneração e valorização

3 benefícios para as pessoas que são resilientes

3 benefícios para as pessoas que são resilientes Hoje falarei sobre os benefícios de ter “Resiliência”, atitude que todos nós precisamos praticar ao passar por dificuldades, minimizando as angústias e transformando em aprendizados, é um atributo da personalidade e que pode ser desenvolvido por qualquer pessoa. Leonardo Siqueira, 5 de setembro de 2013 inShare 27 Sabe aquela pessoa que mesmo quando acontece uma adversidade como por exemplo (perder emprego, morte, discussão, perder paciência no trânsito, entre outras) se mantem firme e não se deixa derrubar, muitas vezes perguntamos “como é que esse cara consegue?” a resposta é que essa pessoa tem resiliência. Resilire, que significa recusar, voltar atrás, portanto a resiliência é a capacidade de superar adversidades de sua vida e voltar ao estado anterior de equilíbrio depois de passar por dificuldades ou traumas, transformando essas experiências negativas em aprendizados. A resiliência vem da física referindo-se a capacidade dos materiais de resistirem aos choques e acabou sendo adaptado nas ciências humanas. Ninguém nasce resiliente, isso evolui com o passar do tempo, sempre diante de nossos problemas temos a tendência de uma desintegração psíquico-emocional, que nos afetam diretamente e nos deixam com aquele sentimento de “coração apertado”, você já sentiu isso alguma vez? Precisamos encontrar formas de lidar com isso, abaixo seguem três dicas de benefícios em ser uma pessoal mais resiliente com resultados para a sua vida. ATITUDES – Pessoas resilientes assumem a responsabilidade do que acontece consigo sem vitimização, tem a habilidade de se manter sereno diante de um problema, são pessoas que tem atitude e resolvem seus problemas sempre com muita sabedoria. AUTOCONSCIÊNCIA – A autoconsciência é a base para a mudança de vida. Pessoas resilientes compreendem os próprios sentimentos, conhecem suas forças e limitações, tem a capacidade e a visão sistêmica de identificar as causas dos problemas, sabendo a hora de falar e a hora de ouvir. Tem empatia, ou seja, compreende o estado psicológico dos outros e sabe exatamente como agir. Na vida, podemos ser problema, ou solução. Se você for só o problema, ninguém vai gostar de ficar do seu lado, porque você vai ser uma pessoa amarga. Mas, se você for solução, aí vai ter a chance de conquistar a maturidade com sabedoria. PROJETO DE VIDA – Pessoas resilientes superam melhor o sofrimento porque encontram um sentido melhor para a vida, encaram a vida positivamente e são acostumados a ver o copo cheio e não vazio. Tem a crença que as coisas irão melhorar e conseguem controlar melhor seu destino. No comportamento humano a resiliência significa a construção de novos caminhos de vida, precisamos sempre tirar lições positivas das situações diárias e não ficar remoendo sempre os problemas. Gosto da frase de Carlos Drummond de Andrade que diz “A dor é inevitável. O sofrimento, opcional”, portanto precisamos ter mais resiliência para que possamos conduzir nossa vida com mais saúde e ser mais feliz. Procure desenvolver a resiliência pois ser resiliente é não se abater com facilidade, não culpar os outros pelos seus fracassos e lutar sempre pelo melhor. Abraço e até a próxima,